2011a9_2d4a75b0d6e742f2bc854937f3628f11.jpg_srb_p_437_585_75_22_0.50_1.20_0.00_jpg_srb-2Há 40 anos que um portal e umha rua de Ferrol tigírom-se de sangue. A sangue do Povo galego derramou-se por todo o País com o assassinato do dirigente da UPG, José Ramom Reboiras Noia, a maos de agentes da Brigada Político-Social franquista. Cada pinga desse sangue espalhou-se pola Galiza e ainda hoje as suas “sementes de vencer” florescem em nós.

Decorrérom já 40 anos desde que Moncho deixou umha pegada insustituível em nós e nem o passo do tempo nem o empenho institucional por empanar a sua imagem puidérom com o seu legado. Somos milhares as/os que nos reconhecemos em Reboiras; sentimos a Moncho nas suas origens mais humildes, no seus empregos precários, na sua vida estudante mas também nas suas facetas de sensibilidade com a classe operária, na sua plena involucraçom nas luitas estudantis e sindicais e no seu COMPROMISSO, com maiúsculas, com o País.

Os passos de Moncho sempre fôrom decididos e valentes e a sua firmeza supunha umha séria ameaça para o franquismo.  Naquela altura, como tantas outras vezes até os nossos tempos, o Regime nom o duvidou, descabeçar às pessoas que pulavam por devolver-lhe a dignidade a Galiza e a sua gente. Reboiras era consciente dos planos do Estado mas nom se amedrentou, passou à clandestinidade e seguiu na sua laboura.

Na madrugada do 12 de Agosto de 1975 Moncho Reboiras era assassinado pola Brigada Político Social, além de que a briga era em desigualdade de condiçons, Moncho ofereceu batalha até o seu derradeiro alento. Reboiras protegeu a umha companheira e um companheiro mais que estavam com ele e que conseguírom fugir e fizo fronte aos polícias durante mais de duas horas até que o crivárom a tiros na rua Terra.

A morte de José Ramom Reboiras Noia nom foi um ponto e final, o seu Povo mantém vivo o legado de aquele que entregou todo para que cheguemos a ser livres. Nem a repressom com a que convivia cada dia junto com o resto de militantes nem as falsas promessas emitidas por Espanha o conseguírom mover um milímetro do seu posicionamento. Reboiras ubicou a Galiza e a sua gente como eixo da sua vida, ele morreu fisicamente mas o seu exemplo mora em nós cada vez que concebimos a luita como o caminho para fazer que a nossa Terra seja NOSSA.