110276-crumpled-paper-icon-social-media-logos-rss-cube

escarnio

Perante as detençons que ao longo do dia de hoje tenhem acontecido, ligadas com os protestos derivados do despejo e tapiado do Centro Social do casco velho de Compostela,  Escárnio e Maldizer, convocam-se de urgência as seguintes concentraçons:

Em Corunha às 16:30 nos julgados

Em Compostela, às 20:30h na Praça do Pam

Em Vigo às 20:30 na Praça da Princesa

Em Lugo às 20.30 na praça Maior

Em Ourense às 20:30 na praça do Ferro

Na Guarda às 20:30 na praça do Reló

 

Difunde e participa! Frente a repressom, solidariedade!

Na defesa do comum, dos projetos emancipadores e das fendas ao sistema! dez, cem, mil centros sociais!

 

[atualizaçom 14:53] Nove som as pessoas detidas polo momento, 5 em Compostela, 2 na Corunha e 1 em Ourense. Por agora, apenas o movimento solidário está a difundir informaçom boca a boca e através das redes sociais.

 

 

[12h]Esta manhá polo menos cinco pessoas venhem de ser detidas, tres em Compostela e mais duas em Corunha. Mas o número pode ser maior; segundo informam pessoas solidárias também se estám a produzir identificaçons pola rua. Em estes momentos já há um grupo de pessoas concentrando-se diante dos julgados de Fontinhas pedindo explicaçons sobre a situaçom das detidas.

Frente a repressom, solidariedade!

 

 

salida carmina

O passado 8 de junho recuperaba a liberdade a militante anti-fascista Carminha Cayetano, tras onze anos em distintas cadeias do Estado Espanhol, mais os 17 que já cumplira noutras cinco encarcelaçons anteriores.


Foi recebida às portas da cadeia de Puerto III (Puerto de Santa María, Cádiz) por familiares e amigas/os que se desprazarom desde diferentes pontos do Estado.

Bem-vinda Carminha!!
Liberdade presas e presos políticos!!

 

 

A Coordenadora para a prevençom e denuncia da tortura, da que fam parteCgucWUrWYAA7xps
mais de 50 organizaçons e colectivos, algumhas delas da Galiza; vém de apresentar o informe "A Tortura no Estado español". Nel denuncia-se que um mínimo de 259 pessoas sofrerom torturas por parte das forzas do Estado no 2016, onze destas cidadás som galegas. Mas hai que ter em conta
que este relatorio de torturas nom recolhe todas as denuncias das que se tivo conhecimento, algumhas delas forom excluídas a petiçom das pessoas
afetadas e outras porque a informaçom recebida era insuficiente ou nom estava totalmente contrastada. Também hai que sulinhar que muitas
situaçons de torturas e maus tratos nom se chegam a denuciar nunca.

Em 2016 houvo 34 pessoas mortas baixo custodia policial no Estado espanhol e entre os anos 2001 e 2016 o número ascende a 650.

 

2017053021112972894Ocorreu ontem durante a manifestaçom em solidariedade co Centro Social Escarnio e Maldizer na zona velha de Compostela. Pouco depois de terem entrado na zona velha, estando a cabeza da manifestaçom na entrada da Rua do Preguntoiro a polícia comezou a cargar contra as pessoas em vários ponto distintos, com porras e pelotas de goma.

Também, outras fontes, diziam que noutros pontos usaram também gases lacrimógenos.

Um dos momentos mais tensos viviu-se na Praça do Pam, onde deixarom a um rapaz inconsciente depois de levar um  porrazo polas costas (segundo fontes que presenciarom o feito). Assim, nesse estado de inconsciência foi algemado e concucido a umha das furgonas que tinha a polícia nacional na Praça,onde mais tarde foi atendido por pessoal sanitario que se achegou ao lugar numha ambulância (que nom puido chegar até alí) à que chamaram as manifestantes preocupadas polo estado do rapaz.  Mais tarde sería trasladado ao hospital e depois à comisaría.

Hoje hai convocada umha concentraçom às nove da manhá diante dos julgados de Fontinhas em solidariedade com o moço detido.

SE NOS TOCAM A UMHA TOCAM-NOS A TODAS!!

NOM NOS CALARAM!!

 

 

Na manhá da terça-feira 30 de Maio foi despejado o centro social ocupado compostelám. À primeira hora da manhá umhas ativistas encontrárom operários tapiando a porta, custodiados por um dispositivo policial. Aos poucos minutos começava umha concentraçom espontánea de ativistas do centro social e solidárias, que foi rebentada pola polícia espanhola. Quando nom se contavam ainda mais de dez pessoas concentradas, a polícia carregou violentamente contra elas, causando feridas a algumhas e levando “retidas” a duas mais à esquadra policial.

Isso nom impediu que a gente continuasse a juntar-se ao redor do centro social, chegando a contar-se um cento de pessoas a berrar “Um depejo, outra ocupaçom”.

Três anos de trabalho social e cultural

O centro social foi ocupado a começos de 2014, desenvolvendo desde entom umha intensa atividade social e cultural, sempre à margem das instituiçons e baseando-se no assemblearismo e a autogestom.

Apesar da boa relaçom com a vizinhança e o tecido associativo local, o projeto sofreu umha perseguiçom judiciária que o conduziu a se ter que defender legalmente. O despejo desta terça-feira foi ordeado polo juiz, e produziu-se sem aviso prévio. Todas as pertenças das pessoas e coletivos que fam parte do Escárnio e Maldizer ficárom dentro do prédio, com as portas e janelas tapiadas por muros de bloque. Entre essas cousas está umha biblioteca, numeroso mobiliário e objetos pessoais.

Convocatória de resposta

Em resposta ao despejo e à repressom de pola manhá, convocou-se umha manifestaçom esta mesma tarde. Sairá às 20:00 da Porta do Caminho.

De Ceivar chamamos a toda a comunidade de solidárias a particiapar nas mobilizaçons de protesto.

Defendamos o Escárnio!

Viva a luita popular!

 
Mais artigos...
Teimudamente Alçadas!
teimudamente_alzadas
Manual de Segurança para Ativistas
manual_segurana_2015
O Teito é de Pedra
mostra_capa
Lei de Segurança Cidadá
LSC_2014web
Endereços d@s Pres@s

1 920422340620189774

raul_web

maria2014_web

edu_web

teto_web

Atópanos nas redes sociais



feisbuk

banner_numero_conta_2014