110276-crumpled-paper-icon-social-media-logos-rss-cube

banner

CBVo03CUcAAGY7ASegundo informa o diário Diagonal, a segunda parte da “Operación Pandora” deu começo esta manhá nas cidades de Madrid, Barcelona, Granada e Palencia. Polo momento as detençons elevam-se a 27, 9 pessoas em Madrid e 4 em Barcelona e Palencia às que a Policía acusa de “organizaçom criminal com fines terroristas” e “sabotagens e colocaçom de artefactos explosivos e incendiários”. A estas detençons engadem-se outras 14 por “resistência à autoridade” durante os registros que se levárom a cabo em 17 pontos das quatro cidades.

Além das detençons também fôrom registrados vários centros sociais ocupados como La Quimera ou o 13-14 do bairro de Vallecas. Desde primeiras horas da manhá as redes sociais davam boa conta da brutalidade com a que os polícias irrumpiram nos locais derrubando portas, pinchando rodas às bicicletas e destroçando todo quanto havia ao seu passo.

A operaçom foi ordenada polo juiz da Audiencia Nacional, Eloy Velasco, e na nota de imprensa refire-se a ir destinada contra os Grupos Anarquistas Coordinados (GAC). A segunda parte da “Operación Pandora” é a continuaçom da produzida três meses atrás e que se saldou com a detençom de 11 pessoas que ficariam em liberdade após pagar umha fiança de 3.000 euros.

Para hoje já há assinaladas concentraçons de solidariedade com as/os anarquistas detidas/os em Madrid, Barcelona, Palencia, Zaragoza, Salamanca, Girona e Clot.

 

B_2gidfWQAEIy1S.jpg_largeHá vários dias que levamos aguardando novidades da situaçom do preso independentista Heitor Naia a respeito da resoluçom do auto judicial. Embora tinha que ter-se resolto no mesmo dia da vista, ainda nom se sabe quando se fará pública polo que nom podemos ficar com os braços cruçados.

Polo de agora temos conhecimento que Heitor Naia atopa-se na prisom de Valdemoro e que está acompanhado por dous presos bascos. Animamos-vos a todas/os a que lhe enviedes umhas linhas, recortes de imprensa, fotos, etc para que Naia vaia sentindo o arroupo da solidariedade.

Héctor Naya Gil
Centro Penitenciario Madrid III
Ctra. Pinto-San Martín de la Vega, km. 4,5,
28340 Valdemoro (Madrid)
 

_mg_5099No pleno celebrado no Congreso espanhol no dia de ontem, saiu aprovada a Lei Mordaça mais a Reforma do Código Penal com os únicos votos favoráveis do Partido Popular. O pacote de medidas que submetem às pessoas a um “estado policial” de manual foi avalada mediante a maioria absoluta que ostenta o PP na Cámara.

Entre duras críticas por parte da oposiçom parlamentária, o porta-voz do grupo popular, Conrado Escobar, argumentou que “es un avance para la convivencia y refuerza nuestra democracia”. O certo é que o PSOE também respaldou ao Governo na reforma do Código Penal relativa a “terrorismo” no que a votaçom se saldou com 279 votos a favor, 24 em contra e 14 abstençons.

Após 18 meses de longas tramitaçons, o vindeiro 1 de Julho entra em vigor tanto a nova Lei Mordaça como a Reforma do Código Penal nos que se inclue a cadeia perpétua.

Redobrar os esforços

A aprovaçom das novas reformas legais formalizam a repressom ditatorial à que se submetem a todos os movimentos sociais e políticos. Meter umha papeleta numha furna cada quatro anos (para quem assim o decide) nom é significativo de nengumha sociedade democrática e quiçais a partir de agora a muitas/os lhe caiam as vendas dos olhos para comprovar de primeira mão o Estado totalitário que oprime com cada vez mais força.

Nom está todo perdido. Bem é certo que as margens de manobra estreitam-se mas coleitivamente, com maiores doses de trabalho e esforço, ombro com ombro e com solidariedade permanente ainda há caminho aberto. Nom somos as/os primeiras/os galegas/os em atravessar situaçons de fascismo e novamente teremos que enfronta-las com inteireza e enchendo de alegria e compromisso todos os nossos espaços cotiás.

 

conceEsta sexta de fim de mês convocam-se as concentraçons mensais para acompanhar à/aos presa/os independentistas galega/os no jejum que realizam nesse dia. O plante de nom ingerir comida durante 24 horas é um ato reivindicativo coletivo para demandar:

-Reconhecimento da sua condiçom de prisioneiras e prisioneiros políticos.
-Fim da política de dispersom penitenciária.
-Reagrupamento dos membros do coletivo numha prisom em território galego.
-Cessamento do regime de reclusom nos centros de menores.
-Melhora geral das condiçons de vida nas prisóns.
Nós, desde o outro lado do muro concentraremo-nos nas seguintes cidades:

DIA 27 DE MARÇO

BURELA: Praça do Concelho às 20h30 + Ceia vegana anti-repressiva no C.S. Xebra!
COMPOSTELA: Praça da Galiza às 20h30 + Ceia solidária no CS A Gentalha do Pichel
CORUNHA: Cantóm Obelisco ás 20h30
FERROL: Praça do Concelho às 20h00
LUGO: Praça Maior às 20h30
OURENSE: Praça do Ferro às 20h30
PONTE VEDRA: Praça da Peregrina às 20h00
VIGO: Porta do Sol (Sereio) às 20h00
PONTE-AREIAS: Diante do Concelho às 20h00

Ademais também aproveitaremos para tomar-nos umha fotografia para dar-lhe os parabéns a Roberto Rodríguez, Teto, que no vindeiro mês estará de aniversário.

 

B_2gidfWQAEIy1S.jpg_largeO preso independentista Heitor Naia já se atopa nas dependências da Audiência Nacional aguardando ponher-se hoje a disposiçom judicial para responder pola Ordem Europeia de Detençom e Entrega. Trata-se dum juízo ordinário e rápido no que simplesmente se verifica se a detençom de Naia foi legal ou nom e se há de continuar em prisom.

Naia foi entregado mediante a província espanhola de Badajoz e posteriormente deslocado até Madrid. Em poucos dias ou incluso hoje existe a possibilidade que já se tenha conhecimento do auto judicial embora as probabilidades de que o preso independentista continue em prisom som muito elevadas. Nom obstante, insiste-se em que Heitor Naia cumprirá os 11 anos de prisom já sentenciados pola AN e aos que nom se pode engadir maior pena judicial.

Lembramos que Heitor Naia foi detido o passado 11 de Março no aeroporto de Sá (Porto) quando tratava de exiliar-se a Venezuela. Após ser julgado por um tribunal luso foi condenado a um ano de prisom com pena suspensa e posteriormente deslocado até a prisom de Porto e a continuaçom Lisboa.

Desde o Organismo Popular Anti-repressivo CEIVAR umha vez mais queremos enviar toda a nossa solidariedade com Heitor Naia e em quanto se tenham novas do destino penitenciário do preso independentista serám comunicadas mediante as vias habituais para que todas/os as/os solidárias/os poidades enviar-lhe umhas linhas de arroupo e apoio.

 

logo_ceivar_corNum texto divulgado esta quarta feira, o advogado de Carlos Calvo retificou as suas acusaçons contra o Organismo Popular Anti-repressivo CEIVAR e a Associaçom de Familiares e Amigas/os Que Voltem para a Casa!

As acusaçons atribuiam-nos às duas organizaçons “manipulaçom interessada” durante dous anos da figura do preso Carlos Calvo. Umhas calúnias mui graves que insultavam à militáncia destas duas organizaçons e aos centos de solidárias/os que os últimos anos trabalhamos pola liberdade e os direitos das/os presas/os independentistas galegas/os.

Ficamos satisfeitas/os com a retirada das difamaçons nom querendo prolongar o conflito com novas polémicas.

 
Mais artigos...
Calendário Ceivar 2015

csc_banner2

Colaboraçom Económica
colab_economica_2014
O Teito é de Pedra
mostra_capa
Lei de Segurança Cidadá
LSC_2014web
Endereços d@s Pres@s

 koala_web

raul_web

maria2014_web

edu_web

teto_web

antom2014_web

Atópanos nas redes sociais



feisbuk

imagem_web_autodefesa

banner_numero_conta_2014