110276-crumpled-paper-icon-social-media-logos-rss-cube

banner_calendario_2017

IMG 20170117 134929Sara Majarenas, presa política vasca natural do bairro donostiarra de Intxaurrondo, convive coa sua filha Izar, de dous anos, na cadeia de Picassent, Valencia (a 540 km da sua terra). Esta passada fim de semana, Izar saiu à rua, para passar umha fim de semana de permiso co seu pai, ex-preso social, do qual Sara está a separarse. O domingo pola manhá, éste, acoitelou várias vezes à sua propria filha, para logo entregarse no quartel da Polícia Local dizendo que a matara.
Izar foi operada duas vezes e permanece estável dentro da gravidade, na UCI do Hospital de la Fe, em Valência.
Para hoje, hai convocada umha concentraçom no Boulevard donostiarra, em contra das agressóns machistas e em solidariedade com Sara e a sua filha.

De Ceivar queremos sumar-nos, enviando a nossa solidariedade, apoio e forza a Sara, Izar e a sua familia. E aproveitamos para exigirlhe ao governo espanhol que ponha de inmediato em liberdade a Sara. É o seu direito!


CONTRA AS AGRESSONS MACHISTAS, RESPOSTA FEMINISTA!!
POR JUSTIZA, POR IZAR, SARA MAJARENAS LIBERDADE!!

 

Castelhano// HERIDA GRAVE LA HIJA DE UNA PRESA POLÍTICA VASCA


Sara Majarenas, presa política vasca natural del barrio donostiarra de Intxaurrondo, convive con su hija Izar, de dos años, en la cárcel de Picassent, Valencia (a 540 km de su tierra). Este pasado fin de semana, Izar salió a la calle, para pasar un fin de semana de permiso con su padre, ex-preso social, del que Sara se está separando. El domingo por la mañana, éste, acuchilló varias veces a su propia hija, y luego se entregó en el cuartel de la Policía Local diciendo que la había matado.
Izar ha sido operada dos veces y permanece estable dentro de la gravedad, en la UCI del Hospital de la Fe, en Valencia.
Para hoy, hay convocada una concentración en el boulevard donostiarra, en contra de las agresiones machistas y en solidaridad con Sara y su hija.

De Ceivar queremos sumarnos, enviando nuestra solidaridad, apoyo y fuerza a Sara, Izar y su familia. Y aprovechamos para exigirle al gobierno español que ponga de inmediato en libertad a Sara. Es su derecho!


CONTRA LAS AGRESIONES MACHISTAS, RESPUESTA FEMINISTA!!
POR JUSTICIA, POR IZAR, SARA MAJARENAS LIBERTAD!!

Achega-lhe a tua solidariedade a Sara, escreve-lhe a:

Sara Majarenas Ibarreta

C.P. Valencia III

N-340, km. 225

46220 Picassent

Valencia

 

O próximo dconcentraloislolamigueldefiia 20, às 12:15, diante dos julgados de Lugo. Convoca a plataforma “Lugo de cara o Miño” em apoio às tres vizinhas denunciadas pola empresa INCA, adjudicatária da exploraçom hidroeléctrica da Fábrica da Luz, por um suposto delito leve de coacçom.

Segundo a denúncia apresentada pola empresa, Lois, Miguel e Lola teriam coaccionado aos trabalhadores das obras do dique ilegal durante a concentraçom espontánea do passado 15 de Dezembro de 2015, ao pé do rio, alertadas polo reinício das obras que a Confederaçom Hidrográfica Minho-Sil tinha paralisadas.

Num primeiro momento a empresa INCA dirigiu a denúncia penal contra o coletivo ecologista ADEGA e a plataforma “Lugo de cara o Minho”, mas o julgado arquivou-a por falta de fundamento. Entom, mudou a estrategia, dirigindo os mesmos ataques contra pessoas particulares.

Nom é a primeira vez que INCA pretende afogar os protestos contra as suas desfeitas ambientais. Segundo denúncia “Lugo de cara o Miño” em nota de imprensa, em 2016 também apresentou demanda contra algúns membros da plataforma por supostas injúrias e calúnias nas redes sociais, polo que reclamarom ao coletivo umha indemnizaçom de 50.000 euros, mas ficou arquivada.

Da mesma plataforma também sinalam o curioso de que “INCA se afane tanto em arremeter contra este movimento social se, como afirma, tem todas as autorizaçons e cumpre com todas as exigéncias legais”, também valorizam com “lamentável e imoral” que persista na denúncia penal contra as tres vizinhas, quando o Ministério de Meio Ambiente já ratificou a ilegalidade das obras do dique executado por esta empresa, em connivência com o Concelho de Lugo, e que forom denunciadas reiteradamente por esta plataforma. Ilegalidade que a vizinhança de Lugo tem que pagar em forma de multa de mais de 200.000 euros a cargo das arcas municipais.

Da plataforma consideram “insultante e injusto que a vizinhança tenha que pagar as consequências do malfazer de outros” e chamam a toda a cidade a participar na concentraçom como repulsa frente a “repressom que exercem os poderosos sobre os nossos direitos básicos de liberdade de expresom, de manifestaçom e de denúncia.” E aclaram que seguiram defendendo o rio Minho frente as agressons.

Defender a terra nom é delito!

Lois, Lola, Miguel, absolviçom!

 

teixeiroiixxxultimoEste sábado, dia 14, está convocada a marcha anarquista até a macroprisom de Teixeiro. Às 12h da manhá está marcada a saída da gasolineira do polígono de Teixeiro (N634 km63).

Pola tarde as atividades continuarám na cidade da Corunha, com umha concentraçom às 17h no Obelisco, e um ceador e concerto de Folkólikos no C.S.O. A Insumisa (Avd/ Metrosidero, frente a porta do Cuartel de Atochas).

Abaixo os muros das prisons!

 

sare kartelaA rede cidadá SARE convoca a manifestaçom que culmina a campanha “salatzen dut” (eu denúncio), em favor dos direitos das presas políticas bascas. Esta mobilizaçom, que se vem celebrando anualmente, é um referente na solidariedade e na denúncia do régime penitenciário espanhol e francês. É um chamamento de mínimos, umha reclamaçom tam básica como necessária: o respeito aos direitos humanos. “Salatzen Dut” sinala as vulneraçons sitemáticas dos direitos humanos nas prisons, com consequências diretas tanto para as pessoas presas como para a sua contorna social, e por suposto como bloqueio para umha resoluçom do conflito político em Euskal Herria por causa da imposiçom e a negativa histórica do Reino de Espanha e do Estado francês à autodeterminaçom dos povos.

Denuncia-se o nom computo das penas, o isolamento e a solidom, a limitaçom e o controlo das comunicaçons e toda umha legislaçom excepcional de mau trato.

Denuncia-se o incumprimento da própria lei espanhola com respeito aos dez presos com doenças graves e incuráveis que permanecem encerrados.

Denuncia-se a dispersom, a política de afastamento que é um castigo para as famílias e achegadas das pessoas presas.

De Etxerat, a associaçom de familiares e amizades das presas independentistas bascas, sinalam a importáncia de responder ativamente à convocatória “nom podemos seguir à espera. Nom podemos correr o risco de que a situaçom atual se enquiste e chegarmos a assumir como normais, políticas de excepçom, violaçons de dereitos, estratégias de vingança e sufrimento”.

De ceivar também alçamos a voz juntando-nos à denúncia. Abraçamos a todas as presas e presos bascos, às exiliadas, abraçamos às familiares e amigas, e partilhamos a fúria para que todas, e em particular as doentes, voltem já às suas casas.

A solidariedade galega com o povo basco! Nós também estaremos nas ruas de Bilbo.

 

 coia com diego lores semana8 14O próximo 17 de Janeiro terá lugar o juízo-farsa a Diego Lores, umha das pessoas represaliadas pola luita contra a instalaçom do barco Bernardo Alfageme numha rotunda do bairro viguês de Coia. A acusaçom particular dum polícia local acusa a Diego de atentado com resultado de lesons, e pede três anos e meio de prisom e 30.000 euros de responsabilidade civil.

Para denunciar o caso e recolher apoios a Diego e às mobilizaçons vizinhais na defesa do bem comúm, a Asembleia de Coia, Baladre (Coordinaçom de luitas contra a precariedade, o empobrecimento e a exclusom social) e gente solidária esta-se a desenvolver umha semana de palestras e projeçons em solidariedade com a luita na rotunda de Coia que leva por título: "Quérennos en soidade, téñennos en común".


Do domingo 8 até o sábado 14 de Janeiro, haverá atividades em diferentes localidades paras as quais a vizinhança de Coia estará acompanhada de pessoas que participaram em diferentes luitas com o objetivo de partilhar experiências e tecer redes solidárias.
Este ciclo de palestras, irá acompanhado da projeçom da curta Moito Peixe Rompe A Rede que repassa os meses de conflito > https://www.youtube.com/watch?

Também está disponível um comunicado a pedir a absoluçom de Diego: https://www.change.org/p/

Calendario de atividades:

PONFERRADA
Domingo 8 Janeiro às 15h00. Magaz de Arriba (Ponferrada)

FERROL
Segunda-feira 9 Janeiro às 19h00. Ateneo Ferrolán (r/Magdalena 202-204)

SABARÍS
Terça-feira 10 Janeiro às 20h00. Casino de Sabarís (r/Julián Álvarez 33)

OURENSE
Quarta-feira 11 às 20h00. A Galleira (Praça de Sam Cosme)

NIGRÁN
Quinta-feira 12 Janeiro às 20h00. A Casa Colorida (r/Rosalía de Castro 16)

PONTEVEDRA
Sexta-feira 12 às 20h00. Casa das campás (r/Don Filberto 9)

VIGO
Sábado 14 às 19h00. CS Faísca (r/Toledo 9)

Participa! A nossa solidariedade é imparável!

 

 

1 920422340620189774De novo, acompanhando o protesto de intramuros, saimos à rua entre as 20h e as 21h desta sexta-feira 30 de Dezembro para visibilizar as suas reclamaçons elementares. Os pontos que o Coletivo de Presas Independentistas Galegas reclama som: O reconhecimento da sua condiçom de prisioneiras políticas, o fim da política criminal de dispersom penitenciária, o reagrupamento dos membros do coletivo numha mesma prisom em território galego, o cessamento do regime de reclusom nos centros de menores e a melhora geral das condiçons de vida no encerro.

As convocatórias som: QUINTA-FEIRA 30 DE DEZEMBRO

Compostela: 20:30h na praça do Toural

Burela: 20:30h na praça do Concelho

Vigo: 20h no Marco (rua Principe)

Ourense:20:30h na praça do Ferro

Lugo: 20:30h na Praça Maior

 
Mais artigos...
Teimudamente Alçadas!
teimudamente_alzadas
Manual de Segurança para Ativistas
manual_segurana_2015
O Teito é de Pedra
mostra_capa
Lei de Segurança Cidadá
LSC_2014web
Endereços d@s Pres@s

raul_web

maria2014_web

edu_web

teto_web

antom2014_web

Atópanos nas redes sociais



feisbuk

banner_numero_conta_2014