Vizinh@s de Pablo C. C. denunciam montagem policial e exigem a liberdade do jovem galego

Quando redigimos esta notícia, o moço galego detido na localidade basca de Orereta Pablo C. C. continua incomunicado em maos da Polícia Autonómica basca. Lembramos que o burelao residente em Euskal Herria era detido na noite do dia 19 por agentes da Ertzaintza quando colava cartazes informativos sobre as reformas urbanísticas acordadas na sessom plenária da manhá da câmara municipal de Orereta. Vizinh@s de Pablo C. C. e do outro jovem que o acompanhava, também detido e incomunicado, denunciárom a “montagem policial”. Membros da associaçom de vizinh@s do bairro de Gaztaño desmentírom ontem contundentemente a versom difundida pola Ertzaintza, segundo a qual Pablo C. C. e o seu companheiro Roberto B. participaram na queima da estaçom do trem. @s vizinh@s definírom a versom policial e mediática como “montagem” e assegurárom que os dous incomunicados sairam da associaçom colando cartazes informativos em direcçom à estaçom, nom fugindo dela, como afima a Polícia Autonómica basca. Prova do afirmado é que os agentes levárom-se os citados cartazes. Companheir@s e amig@s do jovem galego denunciárom a atitude dos meios de difusom “que manipulárom sem ter contrastado a informaçom” e reiterárom que Pablo C. C. e Roberto B. nom fugiam do lugar da sabotagem, mas aproximavam-se dele fazendo o seu trabalho informativo. Desmentírom também a versom ‘oficial’ que assegura que os detidos portavam umha garrafa de combustível de cinco litros, já que, segundo o próprio informe policial da Ertzaintza esta foi localizada posteriormente à detençom e a 500 metros do lugar em que esta se produziu. O Ministério espanhol de Interior vem de acusar os detidos de ‘terrorismo’. Achegamos ao pé desta notícia umha testemunha gravada sobre a montagem policial de que está sendo objecto o moço galego. Mobilizaçons de solidariedade exigindo a liberdade de Pablo C. @s vizinh@s dos detidos manifestárom o seu temor polos delitos que a Ertzaintza poda imputar ao jovem galego e a Roberto B. e exigírom a sua imediata posta em liberdade. Aliás, onte produzia-se em Orereta umha assembleia informativa trás a qual se mobilizavam 200 pessoas polas ruas da localidade basca. Preparam-se jos_content assembleias informativas e mobilizaçons durante os próximos dias em que durará a detençom incomunicada. A esquerda independentista basca oreretarra também tildou de “montagem policial” as detençons e criticou “a ofensiva repressiva da Ertzaintza”. Segundo os seus porta-vozes, “o PNB está submergido na estratégia repressiva do PSOE e queremos sulinhar que este caminho nom ajuda nada ao processo de resoluçom democrática do conflito”. Aliás, alertárom do risco de que os detidos sejam torturados “a meio da incomunicaçom e o protocolo de Balza”. Colaborador na denúncia da repressom contra o movimento independentista galego O jovem galego detido em Orereta é membro da rádio livre da localidade Zintzilik Irratia, da que se emite um programa em galego-português dirigido aos e às emigrantes galegas da comarca. Zintzilik Irratia tem posto em mais de umha ocasiom os seus micros a disposiçom do nosso organismo anti-repressivo, contribuindo para dar a conhecer entre @s residentes galeg@s em Euskal Herria operativos policiais como a ‘Operación Castiñeira’, a situaçom d@s patriotas galeg@s pres@s em Espanha, etc. De Ceivar queremos somara nossa voz às exigências de liberdade imediata e sem cargos para o nosso compatriota e para o outro jovem detido. Queremos denunciar, aliás, que o risco de que sejam objecto de maus tratos e torturas a maos dos conhecidos popularmente como ‘sipaios’ é mais do que real, dado que o regime de incomunicaçom derivado da aplicaçom da legislaçom ‘antiterrorista’ abre as portas à mais absoluta impunidade policial. Ceivar pujo-se a disposiçom d@s companheir@s de Pablo C. C. para denunciar no País a evoluiçom do presente caso repressivo e adoptar as iniciativas necessárias contra a vulneraçom dos seus direitos.