Administraçom autonómica renova os acordos de colaboraçom com a Guarda Civil

A administraçom autonómica renovará o convénio de colaboraçom e coordenaçom que mantém desde 2001 com o Ministério de Interior “para a protecçom ambiental da Comunidade Autónoma”. A notícia fai-se pública hoje trás reunir-se o titular de Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Manuel Vázquez ‘Pachi’ (PSOE), com o general de brigada Manuel Ferreiro Losada, militar ao mando da “zona” da Galiza. Segundo informa o web da administraçom autonómica, a colaboraçom entre a Junta e a organizaçom armada espanhola fundamenta-se nas responsabilidades partilhadas “em matéria de protecçom do ambiente e conservaçom dos recursos naturais da comunidade autónoma”. Proximamente, responsáveis ‘provinciais’ do Serviço de Protecçom da Natureza (Seprona) do instituto armado e o departamento de Ambiente concretarám os termos da colaboraçom que tratará de que ambos agentes se informem “reciprocamente sobre o exercício das suas respectivas competências em matéria de protecçom da natureza”. Continuismo e legitimaçom O bipartido apresenta portanto umha linha continuista na colaboraçom com o corpo policial espanhol, procurando elementos de legitimaçom para justificar a sua presença no nosso território além dos labores directamente repressivos. Aliás, a citada colaboraçom fundamenta-se num facto paradoxal, umha vez que foi historicamente e é a dia de hoje precisamente a Guarda Civil quem, por meio do emprego da força, fijo possível que multidom de projectos energéticos, infraestruturas viárias e inclusivamente negócios privados claramente agressivos para o ambiente e o território fossem avante frente à oposiçom vicinal e ambientalista.