copelUm grupo de ex-presos sociais pertencentes à COPEL (Coordinadora de Presos em Luita) impulsa este documentário co fim de levar à luz umha verdade, de dar voz a todas e todos aqueles que virom a sua aniquilada. O relato de umha história colectiva na que confluem as experiências pessoais de quem vivirom dende dentro o que fora aínda fica silenciado.

Coa morte de Franco, o processo de democratizaçom do regime ditatorial nom caiu do ceo, nom foi agasalhado, senom que foi forzado dende abaixo por umha multitude de luitas sociais e movimentos reivindicativos. Destas mobilizaçons nasceu a COPEL, um movimento que queria rematar co régime penitenciário da ditadura. A amnistia, por exemplo, nom se consegue senom depois de vários ciclos de mobilizaçons na rua, em enfrontamento permanente cos antidisturbios e a costa dum bo número de mortos.
Aínda que fracassarom no intento de incluir os presos sociais na lei de amnistía do '77, a COPEL conseguiu visibilizar durante mais de dous anos as injustiças que se estavam a viver nas cadeias espanholas a través de protestos masivos, como o afamado motim de Carabanchel.

Esta é a sua história, explicada a muitas vozes por algumhas pessoas que vivirom intensamente aquela época. O relato surge dum debate e umha reflexom estratégica, útil para aqueles que se plantexam, aínda hoje, umha luita contra o actual sistema penitenciário, herdeiro directo do Régime anterior.