Amador_e_DanielDecorrérom já 43 anos desde aquel 10 de Março no que a Polícia franquista espanhola baleiava aos trabalhadores da Baçám ferrolana na Ponte das Pias quando se manifestavam em defesa dos seus direitos laborais. Entom demandavam melhoras salariais, reduçom da jornada laboral a 42 horas por semana, um mês de férias e o cobro íntegro no caso de enfermidade, umhas reivindicaçons mais que justas e que fôrom respostadas com repressom e morte.

Amador Rei e Daniel Niebla eram assassinados, 16 trabalhadores fôrom feridos de bala junto com outras dúzias que apresentavam lesons. Também se procedera ao despido de 160 operários, 101 pessoas fôrom detidas, 60 encarcerados e 54 multados. Esta era a resposta repressiva e brutal dum agonizante regime espanhol a um Povo que começara a tomar consciência de si próprio, como classe e como Naçom.

A imagem que nos deparou aquele 10 de Março bem poderia ser a narrada neste 2015: desmantelamento industrial, privatizaçom dos serviços públicos, a sangrante emigraçom, a precariedade nos salários e um empobrecimento geralizado que se ceba com a mocidade e as mulheres. Igualmente a repressom nom passou a ser parte da História: incontáveis processos judiciais com solicitude de prisom, sançons económicas desorbitadas para as/os ativistas sociais e políticas/os, malheiras dos polícias para quem se organiza, controlo social e perseguiçom.

Nom obstante, também em 1972 a solidariedade deu umha liçom. A vaga repressiva tornou-se em raiva e em mobilizaçom na que se fechárom os comércios, ocupou-se Ferrol e as comunicaçons cortárom-se. O facho da solidariedade e da entrega de Amador e Daniel som os que hoje o Organismo Popular Anti-repressivo CEIVAR fazemos nossas para continuar trabalhando para quem ergue a dignidade desta Terra.

Amador e Daniel, presentes!
Viva o Dia da Classe Obreira Galega!