DSC00793A operaçom policial levada a cabo há já mais de quatro anos contra a organizaçom internacionalista basca Askapena acaba de dar os seus primeiros passos judiciais. No dia de ontem a militáncia internacionalista conhecia a decisom da Fiscalía da Audiencia Nacional na que reclama seis anos de prisom para Walter Wendelin, Gabi Basañez, David Soto, Aritz Ganboa e Unai Vazquez  assim como a petiçom de ilegalizaçom e disoluçom de Askapena, da comparsa de Bilbo Askapeña e de outros dous coleitivos do mesmo ámbito, Herriak Aske e Elkar Truke.

Os factos remontam-se a 2010 quando o por entom Ministro del Interior, Alfredo Pérez Rubalcaba, ordenava o arresto de sete pessoas da organizaçom internacionalista criada em 1987 baixo a acusaçom de ser o “aparato internacional de ETA” e que “ETA utilizaba a Askapena para difundir su propaganda y mantener contacto con otras organizaciones en el ámbito internacional”.

Rolda de imprensa

Para este sábado Askapena convoca umha rolda de imprensa na que se fará alusom às acusaçons da Fiscalía. A cita será no donostiarra Kafe Antzoki de Doka a partir das dez e meia da manhá.

Solidariedade

Desde o Organismo Popular Anti-repressivo CEIVAR ratificamos toda a nossa solidariedade internacionalista com as/os companheiras/os de Askapena em estes complicados momentos onde a repressom umha vez mais pretende criminalizar umha expressom política legítima e comprometida com a libertaçom dos Povos.

Nas circunstáncias nas que a repressom ultrapassa fronteiras é também a oportunidade de unificar os compromissos e de elevar umha soa voz contra os que pretendem arrebatar a tenrura dos Povos.