multinacionalesRoyal Bank of Scotland, British Airways e Porsche, som três das cinco multinacionais que contratarom empresas de vigilância para espiar activistas polític@s, segum uns documentos filtrados a The Guardian e o Bureau for Investigative Journalism, nos que se demostra como as empresas de inteligência corporativa se infiltravam em organizaçons e grupos de activistas para ter conhecimento de quando ia haver manifestaçons contra empresas para depois vender-lho às empresas implicadas.

Tam rentável deve ser o "negócio" que a polícia reconheceu que as empresas comerciais tenhem mais infiltrados nos grupos políticos que eles mesmos.