Na manhá da terça-feira 30 de Maio foi despejado o centro social ocupado compostelám. À primeira hora da manhá umhas ativistas encontrárom operários tapiando a porta, custodiados por um dispositivo policial. Aos poucos minutos começava umha concentraçom espontánea de ativistas do centro social e solidárias, que foi rebentada pola polícia espanhola. Quando nom se contavam ainda mais de dez pessoas concentradas, a polícia carregou violentamente contra elas, causando feridas a algumhas e levando “retidas” a duas mais à esquadra policial.

Isso nom impediu que a gente continuasse a juntar-se ao redor do centro social, chegando a contar-se um cento de pessoas a berrar “Um depejo, outra ocupaçom”.

Três anos de trabalho social e cultural

O centro social foi ocupado a começos de 2014, desenvolvendo desde entom umha intensa atividade social e cultural, sempre à margem das instituiçons e baseando-se no assemblearismo e a autogestom.

Apesar da boa relaçom com a vizinhança e o tecido associativo local, o projeto sofreu umha perseguiçom judiciária que o conduziu a se ter que defender legalmente. O despejo desta terça-feira foi ordeado polo juiz, e produziu-se sem aviso prévio. Todas as pertenças das pessoas e coletivos que fam parte do Escárnio e Maldizer ficárom dentro do prédio, com as portas e janelas tapiadas por muros de bloque. Entre essas cousas está umha biblioteca, numeroso mobiliário e objetos pessoais.

Convocatória de resposta

Em resposta ao despejo e à repressom de pola manhá, convocou-se umha manifestaçom esta mesma tarde. Sairá às 20:00 da Porta do Caminho.

De Ceivar chamamos a toda a comunidade de solidárias a particiapar nas mobilizaçons de protesto.

Defendamos o Escárnio!

Viva a luita popular!