dispersomEHSegundo difundiu a cadena Ser, emisora de rádio propriedade do grupo PRISA, estariam a acontecer negociaçons entre PP e PNV para garantir um achegamento das presas independentistas a prisons dos arredores do País Basco, num rádio de 250km. Contodo, o portavoz do PNV no Congreso, Aitor Esteban, asegurou que nom há novidades com respeito a isto, negando que se tenha tratado o tema.

A histórica reivindicaçom frente a política de afastamento das presas políticas bascas longe das suas casas cumpre 30 anos em esta primavera, umha política penitenciária desenhada e desenvolvida polo governo do PSOE, que incumple de maneira sistemática o suposto direito recolhido na própria legislaçom espanhola de cumprir a pena no lugar mais próximo possível ao próprio domicílio. Por outra parte, trinta anos de sólido e persistente apoio da sociedade civil em Euskal Herria aos seus presos e presas, e também de denúncia do carácter de castigo engadido de esta medida, que busca a rutura emocional da pessoa presa e um desgaste engadido para o entorno social.

A dispersom afecta também às presas galegas, que se encontram a centos de quilómetros das suas casas. Medida que também denunciamos constantemente com as concentraçons na rua a última sexta-feira de cada mês, e que administrativamente as presas independentistas também reclamam à Dirección General de Instituciones Penitenciarias.

A dispersom também é tortura!