tanqueta_horiQuem tenha percorrido os arredores de Compostela durante os dias nos que decorrem mobilizaçons populares, bem de certo que terá observado o amplo despregue de grileiras policiais. Igualmente, quem tenha reparado neste facto comprovaria que um novo carro engrossa este despregue, é o camiom de canhom de auga destinado pola Unidad de Intervención Policial (UIP) para cargar contra as/os gandeiras/os galegas/os que protestam nestas jornadas para conseguir um preço digno no leite.

Tal e como se informara neste web, a tanqueta foi adjudicada o passado 23 de abril de 2014 à empresa espanhola  Quatripole Ingeniería e à sionista Beit Alpha Technologies  com um custe elevado a 348.480 euros. O projeto já tornou realidade desde o mês de maio deste ano e, após passar por Madrid e València, agora está ubicado na capital da Galiza.

Múltiples perigos da nova arma

Esta nova ferramenta repressora está pronta para o seu emprego iminente mas, segundo denúnciam desde os próprios sindicatos policiais, nom se proporcionou nengum tipo de formaçom para o seu uso. Este despropósito repercutirá incluso na vida das pessoas contra as que se empregue já que está demonstrada que a sua potência é capaz de causar maiores danos que as pelotas de goma que em várias ocasions saldárom-se com mortes. Do mesmo jeito, a pressom da tanqueta acada os 16 bares (as anteriores chegavam a um máximo de 4 bares) polo que o impacto permitirá derribar a qualquer pessoa e arroja-la a vários metros.

Desde há mais de duas décadas nom se empregavam os camions de auga no Estado Espanhol que ademais lembram aos anos mais duros e sanguentos das ditaduras. Ainda assim hoje esses carros voltam estar nas ruas para amedrentar e submeter à populaçom, umha decisom do Ministerio del Interior rodeada de negligências que permitirám, em maior medida, que as atuaçons policiais fiquem totalmente impunes.