Os partidos políticos com representaçom no Parlamento Galego venhem de chegar a um acordo por unanimidade para reclamar ao atual Governo de Madrid, que lhe transfira as competências em matéria de saude dos centros penitenciários galegos. Ainda assim, o Partido Popular aclarou que somentes está disposto a assumir esta nova competência no caso de venha em companha da dotaçom económica correspondente.

A iniciativa foi defendida pola parlamentária do Grupo Mixto, Consuelo Martínez, que propujo que seja o Servizo Galego de Saude (SERGAS) quem atenda diretamente à populaçom reclusa. Ademais, Chelo Martínez, fizo umhas contundentes declaraçons desde o estrado do Parlamento no que indicou que “os suicídios som a terceira causa de morte nas prisons” e assinalou as constantes queixas que se venhem emitindo polas/os internas/os em base a casos de torturas. Também citou os exemplos de pessoas que morrérom em cárceres galegos e as duras condiçons de vida que se lhes imponhem às/aos reclusas/os de maneira absurda e arbitrária “umha pessoa normal nom pode estar 20 dias estando as 24 horas do dia isolado”.

Igualmente a parlamentária denunciou a “malnutriçom, o abuso do poder, as torturas e condiçons insalubres" que já som umha constante assim como os falecementos em extranas circunstáncias que Instituciones Penitenciárias “qualifica de suicídios ou mortes accidentais”. Finalmente, Martínez sentenciou “queda pois patente o Estado colonial que Espanha tem da Galiza”.

Desde o Organismo Popular Anti-repressivo CEIVAR acreditamos que já era o momento de que se elevaram as permanentes violaçons de Direitos Humanos que se levam a cabo nos centros penitenciários galegos e exigimos passos contundentes para rematar definitivamente com as práticas de extermínio das/os presas/os. Igualmente, fazemos um convite a ver o vídeo com as declaraçons ao completo.