110276-crumpled-paper-icon-social-media-logos-rss-cube

A excepcionalidade repressiva e a aplicaçom de todo tipo de procedimentos arbitrários estám a acompanhar o percurso penitenciário de Xiana Rodrigues e Ugio Caamanho desde o seu ingressom em prisom o passado 26 de Julho. Segundo vem de informar o patriota galego preso em Navalcarnero, a prática totalidade da sua correspondência, tanto a encaminhada a Navalcarnero a seu nome, quanto a emitida por ele próprio, está a ser retida pola direcçom do centro penitenciário, impedindo que saiam as suas cartas e sejam recebidas as enviadas por amig@s, companheir@s e familiares. A vulneraçom arbitrária do seu direito afecta, inclusivamente, à possibilidade de Ugio Caamanho designar o seu advogado para a defesa no processo que tem aberto na Audiência Nacional, impedindo o conhecimento do estado da causa e a intervençom do letrado e pondo o preso numha situaçom de indefensom legal absoluta. A retençom do correio nom tem qualquer motivaçom jurídica, umha vez que o regime de incomunicaçom a que amb@s pres@s estivérom submetid@s foi levantado há tempo, e incorre, portanto, no terreno da mais clara ilegalidade e a arbitrariedade penitenciária. Soma-se a este facto a realidade de que, tanto o correio entrante para Ugio Caamanho quanto o sainte, é sistematicamente aberto e revisado polos funcionários de prisons de Navalcarnero. Conhecemos a habitualidade e “normalidade” desta prática, garantida inclusivamente por via legal quando se tratar de presos e presas que Instituiçons Penitenciárias define como “perigos@s” ou “conflitiv@s”, mas a retençom sistemática da correspondência carece neste caso de qualquer basamento jurídico e, portanto, apenas pode ser compreendida como parte da série de tratamentos de excepçom de que venhem sendo objecto o preso e a presa galegos desde 26 de Julho. Frente a esta situaçom, Caamanho cursará umha queija escrita perante o Julgado de Vigiláncia Penitenciária da Audiência Nacional espanhola, exigindo o restabelecimento da sua correspondência pessoal. Por parte do organismo antirrepressivo, convidamos a um envio maciço de cartas e telegramas a Ugio Caamanho e de escritos à direcçom de Navalcarnero exigindo o respeito dum direito elementar, como é a recepçom e saída do correio do independentista galego, umha das únicas vias de comunicaçom com a realidade exterior de que dispom qualquer preso ou presa. Manteremos a informaçom sobre este particular e anunciamos jos_content iniciativas a nível público no caso de nom ser respeitado este direito num curto prazo de tempo. A localizaçom actual do patriota galego preso é: Uxío Caamaño Santiso Centro Penitenciario Madrid IV-Navalcarnero Carretera N-V. Km. 27.7 28600-Navalcarnero (Madrid) España Os telefones do centro penitenciário espanhol som 91 8116000 (Informaçom) e 91 8116042 (Comunicaçons).
 
Teimudamente Alçadas!
teimudamente_alzadas
Manual de Segurança para Ativistas
manual_segurana_2015
O Teito é de Pedra
mostra_capa
Lei de Segurança Cidadá
LSC_2014web
Endereços d@s Pres@s

1 920422340620189774

raul_web

maria2014_web

edu_web

teto_web

Atópanos nas redes sociais



feisbuk

banner_numero_conta_2014