110276-crumpled-paper-icon-social-media-logos-rss-cube

Sin_ttuloPor segundo ano consecutivo o Organismo Popular Anti-repressivo CEIVAR acadou o primeiro prémio na categoria de “Maio Enxebre” com um desenho feito de madeira, musgo, gestas e outros materiais da flora do País. Após muitas horas de trabalho, a equipa representou um  Maio tradicional com forma piramidal.

Além de que em vários pontos da Galiza se faga esta celebraçom, em Ourense é umha data assinalada que se celebra a primeira fim de semana do mês de Maio para dar a bem-vinda à primavera e ao verao pastoral no que se levava o gando até os pastos dessa estaçom. Ao redor das construçons cantam-se coplas nas que com retranca, criticam-se várias situaçons, especialmente a política.

Igualmente, no recibimento do prémio um dos componhentes subiu até o palco para aproveitar e denunciar situaçom à que se vém submetidas/os as/os presas/os independentistas galegas/os e também criticar o emprego de umha imagem dum Maio elaborado por CEIVAR no programa municipal do Partido Popular da Cidade das Burgas.

Finalmente, desde CEIVAR agradecemos ao Espaço Cultural Aberto (ESCUA) por ter cedido o espaço para a preparaçom nos dias prévios do Maio.

maio

 

5541ff28eea71-solicitudepsdegprisionsHá quase quinze dias que as deputadas do Partido Socialista de Galicia, Carmen Acuña, Carmen Gallego mais Maria Quintas, solicitavam que umha delegaçom do Parlamento Galego visitara todos os centros penitenciários ubicados no País para comprovar de primeira mam a situaçom das prisons devido às numerosas queixas recibidas.

Esta iniciativa é a segunda que as parlamentárias do PSdG tentavam em menos de dous meses. A primeira fora o 12 de Março na que dirigírom umha solicitude formal à Delegación del Gobierno na Galiza. O seu responsável, Santiago Villanueva, trasladou esta proposta a Secretaría de Instituciones Penitenciarias dependente do Ministerio del Interior. A responsável de Relaciones Institucionales y Coordinación Territorial desta matéria, Mercedes Belaustegui, negou-lhe a entrada às deputadas.

Belaustegui alegou que a competéncia de Instituciones Penitenciarias pertence ao Estado e que somentes se autoriza a entrada a parlamentárias/os e senadoras/es do Parlamento Espanhol.

Pola sua banda, as deputadas do PSdG mostrárom a sua preocupaçom ante esta negativa já que temem que desde o Estado se esteja a agochar a verdadeira situaçom das prisons galegas especialmente após os recortes nos orçamentos e que, sem dúvida, repercutiriam sobre as condiçons de vida da populaçom reclusa. “Está a impedir-se a visita de legítimos representantes das/os galegas/os aos centros penitenciários ubicados em chão galego”, dim as deputadas. Neste cenário, Carmen Acuña reitera a proposta de que umha delegaçom de todos os partidos políticos com representaçom na Cámara galega visitem os cárceres galegos e solicita umha oposiçom contundente ante a negativa do Ministerio del Interior.

Desde o Organismo Popular Anti-repressivo CEIVAR levamos tempo denunciando as insuportáveis condiçons de vida às que se vem submetidas/os as/os presas/os nas prisons galegas e as escandalosas cifras de suicídios que acontecem nas instalaçons. É a hora de que se clarifiquem dumha vez por todas as tramas de corruptelas e maus tratos e que se lhe ponham fim.

 

CDrI_nNW0AAAIDNNeste 1º de Maio o Organismo Popular Anti-repressivo CEIVAR estará de novo nas ruas com o galho do Dia do Internacionalismo Proletário. Umha data importante para todos/as os/as que com orgulho nos reivindicamos como clase trabalhadora e que a dia de hoje nos vemos submetidas/os ao mais vil capitalismo encarnado na perda de direitos laborais, dureza nas condiçons de vida, a maciça emigraçom, depauperaçom e assovalhamento.

Umha data na que mais que nunca as nossas luitas vam-se atopar frontalmente com a aprovada Lei Mordaça que pretenderá manter-nos como meras expetadoras namentres a política corrupta institucional vende o nosso País e o nosso Povo. Somos fruto das luitas populares e sentimo-nos parte de aquelas/es obreiras/os que nom calárom ante os abusos e contra quem a repressom arremeteu nas suas versons mais extremas.

É por isto que este 1º de Maio alçaremos de novo as consignas solidárias, a unidade coleitiva como fórmula para fazer fronte à nova escalada repressiva e lembrar à trabalhadora Maria Osório e aos trabalhadores Eduardo Vigo, Roberto Rodríguez, Antom Santos, Heitor Naia e Raúl Agulheiro que se atopam presos nas cadeias espanholas. Um momento também para ter presente a todas as pessoas que no passado e no presente estám sendo objeto de perseguiçom, juízos e sançons pola sua atividade política.

Finalmente, neste dia o Organismo Popular Anti-repressivo junto com o Centro Social Faísca de Vigo convidamos-vos ao jantar popular que terá lugar a partir das 14h na rua Toledo nº9 (C.S. Faísca). Umha vez mais os fundos arrecadados irám destinados à contenda contra a repressom.

 

jefa-brigadaO Julgado do Penal nº2 de Ourense emitiu esta mesma manhá a sentença contra os sete estudantes julgados o passado 18 de Fevereiro deste ano por altercados na biblioteca municipal de Ourense. Assim, dous deles fôrom sentenciados a dous anos de prisom polo delito de “atentado contra a autoridade” e outro foi condenado a um ano de prisom polo mesmo motivo. As três pessoas nom ingresarám no cárcere por carecer de antecedentes penais. Os outros quatro estudantes ficárom totalmente livres de responsabilidade penal.

Os factos decorrérom em Outubro de 2012 após umha greve estudantil lembrada polo amplo apoio popular. Após o remate da manifestaçom um nutrido grupo de pessoas chegou até a Biblioteca Pública da cidade das Burgas para pendurar umha faixa na fachada. A Policía irrompeu com brutalidade namentres o estudantado tratava de repeler as agressons policiais, finalmente colocárom a faixa e os/as estudantes saírom do edifício público sem ser identificadas/os. As petiçons que afrontavam os sete jovens eram de entre três e cinco anos de prisom e multas de até 5.000 euros.

Desde o Organismo Popular Anti-repressivo CEIVAR exprememos toda a nossa solidariedade com as/os estudantes retaliadas/os e animamos a continuar combatendo a mercantilizaçom do ensino, a privatizaçom, a espanholizaçom e os dogmas machistas e eclesiásticos que o Governo de Feijóo e de Mariano Rajoy procura implantar nas aulas galegas.

Stop repressom contra o futuro!!

 

cartaz04web-fimEste vindeira findeira sexta feira, o Organismo Popular Anti-repressivo CEIVAR estaremos junto com outros entes políticos e sociais nas ruas galegas para acompanhar às/aos presas/os independentistas galegas/os no seu jejum mensal. Este ato de protesto que se realiza todas as sextas de fim de mês tem como finalidade os seguintes objetivos:

1- Reconhecimento da sua condiçom de prisioneiras/os políticas/os.

2- Fim da política de dispersom penitenciária.

3- Reagrupamento dos membros do coletivo numha prisom em território galego.

4- Cessamento do regime de reclusom nos centros de menores.

5- Melhora geral das condiçons de vida nas prisóns.

CEIVAR secundará as mobilizaçons convocadas o dia 24 DE ABRIL nas principais vilas galegas e anima a todas as solidaridades a respostar com força ante o modelo penitenciário espanhol. Ademais tomará-se umha imagem para parabenizar a Heitor Naia e a Raúl Agulheiro polo seu aniversário.

BURELA: Praça do Concelho às 20h30 + Ceia vegana anti-repressiva no C.S. Xebra!
COMPOSTELA: Praça da Galiza às 20h30
CORUNHA: Cantóm Obelisco ás 20h30
FERROL: Praça do Concelho às 20h
LUGO: Praça Maior às 20h30
OURENSE: Praça do Ferro às 20h30
PONTE VEDRA: Praça da Ferraria às 20h00
VIGO:  Marco (rua Príncipe) às 20h00
PONTE-AREIAS: Diante do Concelho às 20h00
 

Sin_ttuloO local associativo Rompe el Círculo de Móstoles foi o lugar que albergou no sábado 18 de Abril a jornada internacionalista que tivo a Galiza como protagonista. Organizada polo Comité de apoio ao Organismo Popular Anti-repressivo CEIVAR constituido em Madrid,  o evento contou com a participaçom dum membro de CEIVAR que apresentou o livro escrito ex-presas/os independentistas “O teito é de pedra” e desenvolveu umha palestra sobre os processos repressivos na Galiza. Aliás, a jornada contou com a projeçom dum vídeo elaborado polo Comité de Apoio sobre as luitas populares na Galiza, umha degostaçom de produtos gastronómicos galegos e umha escolma de músicas do País.

Por volta dum cento de pessoas participaram das diferentes actividades programadas, mostrando grande interesse por conhecer os diversos aspectos da situaçom sócio-política e cultural galega.

Desde o Organismo Popular Anti-repressivo CEIVAR queremos parabenizar e agradecer o enorme trabalho desenvolvido polas companheiras do Comité de Apoio, asemade mostrar a nossa gratitude e satisfacçom pola boa acolhida que tivo a jornada e o carinho e arroupamento do que fomos objeto por parte das gentes dos movimentos sociais de Móstoles. Por outra parte, e como transmitimos no próprio dia, solidarizar-nos com todas  as pessoas que estám a ser repressaliadas em Madrid pola sua militáncia política e social.

 
Mais artigos...
Teimudamente Alçadas!
teimudamente_alzadas
Manual de Segurança para Ativistas
manual_segurana_2015
O Teito é de Pedra
mostra_capa
Lei de Segurança Cidadá
LSC_2014web
Endereços d@s Pres@s

1 920422340620189774

raul_web

maria2014_web

edu_web

teto_web

Atópanos nas redes sociais



feisbuk

banner_numero_conta_2014